You are currently viewing Buscas por voz – Seu cliente já faz, mas você oferece?

Buscas por voz – Seu cliente já faz, mas você oferece?

Você faz buscas por voz? E seu cliente?

Você faz buscas por voz no seu celular? A resposta provavelmente vai estar vinculada diretamente com a sua idade. Não, não se sinta ofendido. Eu, por exemplo, não faço. Ou seja, se você quer vender para mim, otimizar seu site para buscas por voz não vai adiantar nada. No entanto, talvez eu não esteja no seu público-alvo. Ainda assim, mesmo que eu esteja, eu não seria a totalidade da sua audiência. Essa breve introdução serve apenas para dizer que na hora em que falamos de SEO, ou Search Engine Optimization, suas preferências pouco importam. O foco tem que ser na intenção de busca do usuário e em oferecer valor para ele. 

Segundo o Gartner, ao menos 39% da população americana afirma fazer busca por voz e 26% fazem isso uma vez por semana, no mínimo. Ou seja, ao menos uma vez por semana seu potencial cliente busca solução para algum problema ou resposta para uma dúvida utilizando uma assistente virtual. Por outro lado, apenas 10% das pessoas usam as assistentes virtuais para fazer compras. Logo, isso é um indicativo que existe muito espaço para crescimento nessa outra ponta do funil de vendas. Por outro lado, se lembre que a compra é o último estágio desse funil e que as fases de conhecimento e de avaliação farão toda a diferença no processo de decisão. 

“Para a maioria dos usuários, os assistentes virtuais já se tornaram uma das tecnologias mais importantes na casa conectada”
David Watkins, Diretor de Smart Speakers na Strategy Analytics

COVID-19 e a buscas por voz

O cenário da pandemia mundial está redefinindo o jeito com que encaramos nossos contatos pessoais e, consequentemente, mudando a forma como vivemos. Pesquisas indicam que 32% das pessoas estão interessadas em tecnologias hands-free, que dispensem o contato físico com objetos. Apesar da demanda crescente pela busca por voz, apenas 15% das empresas oferecem essa funcionalidade nos seus aplicativos. Se o cenário mundial mudou, isso significa que as empresas precisam se adaptar rapidamente ou ficarão para trás em relação à concorrência. Se os consumidores buscam por menos contato físico, os profissionais de marketing precisam aumentar seus touchpoints de outra forma. E essa forma passa, definitivamente, pelos celulares, tablets e apps que estejam adaptados às buscas por voz.

Mas para fazer isso da forma correta, assim como em qualquer ação de marketing, você tem que conhecer o que realmente importa ára seu cliente. O gráfico abaixo mostra, por exemplo, onde e quando a opção hands-free é mais importante para o usuário.

 

Gráfico da Pesquisa do Gartner sobre intenção de uso da tecnologia Hands-Free e buscas por voz

CONCLUSÃO

A busca por voz não é mais tendência. Ela é uma realidade. A inteligência artificial torna as casas, carros e objetos em geral inteligentes. Por outro lado, torna os seres humanos, seus clientes, ainda mais exigentes impacientes. Dessa forma, priorize os recursos de voz de todos os seus pontos de contato virtuais com a sua audiência. Ma não perca tempo nem dinheiro criando suas própria tecnologia. Use as assistentes virtuais já existentes no mercado e ajuste suas plataformas ao padrão já existente. Lembre também de investir nos recursos de acessibilidade, deixando o recurso de busca por voz o mais intuitivo e simples possível.

Deixe um comentário